Case de sucesso

Nova metodologia de ensino tem Homem Virtual para contextualizar o aprendizado

Dados do curso

Resumo: MSP 4211 é o primeiro curso da Unidade Curricular – 21, que integra o novo currículo da graduação da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.

Objetivo: contextualizar progressivamente os conhecimentos apreendidos no curso básico com estruturação de raciocínio clínico baseado com pacientes com casos reais.

Duração: 260 horas distribuídas em quatro anos.

Há quanto tempo existe: A UC-21 começou a ser implantada em 2015.

Quantidade de alunos: 180 por turma.

Homem Virtual

 

Objetos Educacionais

  • Amputação
  • Anatomia da caixa torácica
  • Asma
  • Choque
  • Diabetes
  • ECG
  • Estrutura anatômica
  • Fígado
  • Fisiologia da respiração
  • Marcha
  • Ritmo cardíaco
  • Sistema locomotor
  • Vasos

Estruturas 3D

  • Caixa torácica
  • Circulação portal e intra-hepática
  • Estruturas do coração
  • Fígado
  • Órgão alvo de lesão cardiovascular
  • Pulmões
  • Segmentos hepáticos

“Todo material didático tem suas características. A do Homem Virtual é contextualizar de forma dinâmica e concreta o que acontece com os pacientes. Ele associa técnicas de filmagem de imagens criadas em computadores com casos verídicos da prática assistencial em saúde de maneira interdisciplinar.”

— Professora Maria Lúcia Garcia Bueno, responsável pelo MSP 4211, ganhou o 1º Prêmio Ernesto Souza Campos, criado pelo Centro Acadêmico Oswaldo Cruz (CAOC – FMUSP) para reconhecer a dedicação e talento de seus professores.


 

Contexto:

A Unidade Curricular 21 – Discussão de Casos Integrados compreende os quatro primeiros anos da graduação da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Ela faz parte do currículo novo da instituição e é obrigatória. Seus coordenadores pertencem às cadeiras de Clínica Médica, Patologia, Patologia Clínica, Radiologia e Telemedicina. Cada turma conta com 180 alunos.

Os principais objetivos da UC-21 são integração e contextualização progressiva dos conhecimentos “core” em aquisição no curso básico com estruturação de raciocínio clínico baseado em pacientes com casos reais e estruturados das grandes síndromes clínicas de insuficiências de sistemas; e estimulação à pró-atividade para independência da busca do conhecimento com crítica de medicina baseada em evidência.

O primeiro curso, MSP 4211, começou a ser implantado em 2015, inaugurando uma nova metodologia de ensino na instituição: as tecnologias interativas de aprendizado como aliadas do professor para contextualizar a matéria, adaptar o estilo de aula no decorrer do curso e incentivar o amadurecimento comportamental do aluno no quesito independência, pensamento crítico na busca pelo conhecimento e ética de conduta do aprendizado.

O MSP 4211 foi dividido em cinco módulos, cada um abordando uma das grandes insuficiências (respiratória, cardíaca, renal, hepática e circulatória). Em cada módulo, o aluno é exposto a caso clínico, discussão clínica, exames, telepatologia, reflexão e material didático de mídia para contextualizar o caso clínico.

Desafio

O MSP 4211, primeiro curso da UC-21, implantado em 2015, consiste em analisar casos clínicos desenvolvidos pelos professores juntamente com docentes das outras Unidades Curriculares. Para isso, o aluno precisa saber bioquímica, fisiologia de membranas, estruturas moleculares em pacientes do curso clínico, como órgão funcionam quando estão saudáveis e quando estão doentes, entre outros conhecimentos que são aprendidos no decorrer da faculdade. Sendo assim, um aluno recém-admitido na instituição naturalmente tem dificuldade. Afinal, como é possível contextualizar uma doença no paciente sem que, antes, os estudantes saibam como é o funcionamento do órgão em um sistema humano normal?

Solução

Uma das soluções didáticas adotadas para contextualizar e explicar os princípios do funcionamento do sistema humano foi o Homem Virtual. Todos os módulos do curso contêm uma ou mais unidades do H.V que ajudam o aluno a visualizar o funcionamento do órgão, os aspectos fisiológicos e fisiopatológicos. Desse modo, o estudante tem acesso a um meio de comunicação dinâmico para compreender melhor os casos clínicos.

“Os materiais de aprendizagem em mídia, como o Homem Virtual e as peças 3D materializam o contexto das moléculas, membranas, células no ser humano normal e doente. Essa visualização didática de processos fisiológicos e fisiopatológicos dos órgão e sistemas humanos é fundamental para a compreensão e para o aprendizado”, reflete a professora Maria Lúcia Garcia Bueno, responsável pelo curso do primeiro ano.

Mudança na sala de aula
A utilização do Homem Virtual e das estruturas em 3D, geradas a partir do HV, teve uma ótima receptividade entre os alunos, segundo a professora Maria Lúcia. Além disso, melhorou a compreensão e fixação da matéria. Os materiais de aprendizagem de mídia permitiram que os alunos vissem, interrogassem e discutissem os principais pontos da matéria entre si e com os monitores ou professores, tirando dúvidas de forma mais completa e espacial (apontando, por exemplo). “É mais fácil você compreender uma estrutura que você vê e palpa com as mãos do que uma estrutura abstrata, certo?”, relata.

“Todo material didático tem suas características. A do Homem Virtual é contextualizar de forma dinâmica e concreta o que acontece com os pacientes. Ele associa técnicas de filmagem de imagens criadas em computadores com casos verídicos da prática assistencial em saúde de maneira interdisciplinar. Essa integração, com abrangência e interligação com visualização do abstrato permitem melhor compreensão, fixação e contextualização do conhecimento”, conclui.